Banco Central mantém política de elevação e Taxa Selic aumenta mais 0,5 ponto percentual

Banco Central mantém política de elevação e Taxa Selic aumenta mais 0,5 ponto percentual

A decisão foi anunciada na última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, que por unanimidade resolveu elevar mais uma vez a taxa Selic, saindo assim de 13,25% para 13,75% ao ano. Entre os fatores considerados pelo grupo, foram relatadas dificuldades quanto ao ambiente externo, inflação ainda acima da meta e expansão da atividade econômica por medidas fiscais que entraram em vigor e podem pressionar a inflação.    

No cenário externo, os principais bancos centrais têm feito movimentos de elevar suas taxas de juros para conter o processo inflacionário, que somado a sinais de arrefecimento na atividade econômica, impõem grande volatilidade nos preços dos ativos e das moedas. De olho na conjuntura nacional, a ideia é a manutenção da inflação nacional acima da meta, com sinais de crescimento econômico acima do previsto pelos modelos do Banco Central (1,98% para o PIB de 2022).

.

No comunicado do Copom também ficou explícito que as dúvidas sobre o futuro da política fiscal pesaram na decisão. Entre os fatores que podem levar a uma possível parada da elevação da taxa de juros no futuro, estão a redução dos preços das commodities e a do câmbio. O comitê sinalizou que considera ainda um novo aumento “residual”, ou seja, de mais 0,25% no próximo encontro em setembro, levando a Selic à 14%. A expectativa é permanecer neste patamar até o processo inflacionário estancar e as expectativas se ancorarem próximas à meta.

No último boletim Focus, que aponta as previsões de inflação do mercado financeiro, as previsões para a inflação em 2022 estavam em 7,11% e 5,33% em 2023. A última decisão do Banco Central aponta a uma taxa real de juros de 7,1% ao ano, certamente indicando contração da atividade econômica. É de se esperar que os investimentos produtivos mantenham pouco crescimento, afetando setores industriais como os de máquinas e equipamentos, e que fabriquem bens de consumo durável.

.

Related posts

Indústria mais confiante e tendência de queda na inflação marcam a economia neste final de novembro

Indústria mais confiante e tendência de queda na inflação marcam a economia neste final de novembro O último Boletim Focus desta segunda-feira (27), divulgado pelo Banco Central (Bacen), traz as expectativas do mercado para o cenário macroeconômico brasileiro. Destaca-se...

Read More