IBGE divulga dados do quarto trimestre 2021 do PIB brasileiro

IBGE divulga dados do quarto trimestre 2021 do PIB brasileiro

 

Em 04 de março de 2021 o IBGE divulgou os dados do quarto trimestre 2021 do PIB brasileiro. Pelo Sistema de Contas Nacionais, esta é a primeira divulgação formal que permite efetivamente medir o desempenho da economia nacional em 2021. Na tabela abaixo transcrevemos alguns dos dados disponibilizados pelo IBGE.

 

 

Após ter crescido 0,5% no quarto trimestre, o PIB nacional finalizou o ano de 2021 com um crescimento de 4,6% no acumulado, valor levemente acima da previsão realizada pelo Observatório em sua publicação de 2 de fevereiro (Observatório da Indústria realiza previsão para o PIB do Brasil e Pernambuco).

Este indicador confirma que em 2021 recuperamos boa parte das perdas sofridas em 2020 em decorrência da pandemia de Covid-19, contudo, a taxa de crescimento do quarto trimestre mostra uma desaceleração deste crescimento. Se no ano de 2022 a taxa de crescimento se mantiver em todos os trimestres, o ano fecharia com uma taxa de 2,0% de crescimento.

Pelo lado da oferta, nota-se que a agropecuária que tem sido um importante fator de sustentação da economia brasileira, apresentando uma dinâmica oposta à do PIB. Em outras palavras, o setor apresentou um alto crescimento na margem com queda no acumulado de 2021, ou seja, a agropecuária não colaborou para a elevação do PIB de 2021, mas sinalizou que vem em ritmo de crescimento.

A indústria nacional fechou o acumulado do ano com crescimento um de 4,5%, o que é um dado positivo, apesar do indicador do quarto trimestre ser preocupante, visto que apresentou uma queda de 1,2% na indústria total, 2,4% nas indústrias extrativas e 2,5% na indústria de transformação. A construção civil é a que apresenta o cenário mais positivo dentre todos os setores da oferta. Este segmento conseguiu fechar o ano com um expressivo aumento de 9,7% no acumulado e um quarto trimestre com alta de 1,5%, indicando aceleração no setor.

Pelo lado da demanda, o principal fator positivo foi o fechamento, no acumulado do ano, da formação bruta de capital fixo (indicador altamente relacionado ao investimento) em 17,2%. Quando o crescimento do PIB vem sendo puxado pelo investimento do lado da demanda, é um sinal de que um ciclo positivo está em gestação, o que de certa forma contradiz o clima pessimista que os analistas têm feito para 2022. Está na agenda deste Observatório analisar este dado mais detidamente para entender até que ponto este saldo no investimento pode lançar o país em um círculo virtuoso ou se a elevação da taxa Selic pode estancar este processo.

O crescimento abaixo da média no consumo das famílias e no consumo do governo está em linha com o alto índice de desemprego, a perda da renda real disponível (do lado das famílias) e pelas dificuldades fiscais que o país vem atravessando a anos (do lado do governo).

As exportações foram importantes para elevar o crescimento do PIB, apesar de também apresentarem perda da dinâmica no quarto trimestre. As altas de preços das commodities podem fazer com que em 2022 as exportações mantenham papel importante para o crescimento do PIB.

 

Related posts

IPCA: índice de inflação nacional atinge maior alta para o mês abril desde 1996

IPCA: índice de inflação nacional atinge maior alta para o mês abril desde 1996 O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) aumentou 1,06% em abril, segundo publicação do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na quarta-feira...

Read More

China travada: os possíveis impactos de curto e médio prazo na economia brasileira e de Pernambuco

China travada: os possíveis impactos de curto e médio prazo na economia brasileira e de Pernambuco O mundo tem assistido com preocupação aos desdobramentos da nova onda de Covid-19 na China. Afinal não é para menos: trata-se da segunda...

Read More