Relatório do Banco Mundial projeta crescimento de 1,7% para o PIB do Brasil em 2024

Relatório do Banco Mundial projeta crescimento de 1,7% para o PIB do Brasil em 2024

Em seu relatório semestral para a América Latina e Caribe, “Concorrência: o ingrediente que falta para crescer?”, que descreve o panorama atual da economia da América Latina, o Banco Mundial projeta um crescimento de 1,7% no Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro em 2024, acima do projetado para a região, que é 1,6%. O banco projeta ainda um crescimento de 2,2% em 2025 e 2% em 2026 para a economia do Brasil.

O relatório destaca que a América Latina está vencendo a batalha contra a inflação e que países como o Brasil já iniciaram o corte de juros, no entanto, os juros ainda se encontram em um patamar elevado. Ainda segundo o relatório, políticas de inovação e de incentivo à concorrência para a América Latina são necessárias para que as empresas se aproximem da fronteira tecnológica e se tornem mais competitivas. O relatório aponta para a necessidade de uma agenda substancial de reformas em infraestrutura, educação, regulação e política de concorrência.

Segundo o relatório, a concorrência, a modernização das empresas e as políticas nacionais de inovação são complementares. Níveis de concorrência mais elevados, possibilitados por uma política de concorrência sólida e por marcos regulatórios pró-concorrência bem desenhados, podem fornecer os incentivos corretos para que as empresas se aproximem da fronteira tecnológica. Uma boa política de inovação também aproximará as empresas da fronteira tecnológica, que poderão responder da melhor forma às dinâmicas do mercado, impulsionando suas capacidades produtivas e se tornando mais resilientes, o que trará ganhos de produtividade e crescimento econômico.

De forma geral, em ralação à necessidade de melhorias no âmbito de capital físico e humano para a América Latina, o documento argumenta que para inovar e gerenciar projetos de inovação de forma eficaz, as empresas precisam de capacidades gerenciais e organizacionais que são fundamentais para a produtividade. A empresa que não tiver capacidade para responder às condições desafiadoras do mercado, identificar novas oportunidades tecnológicas e desenvolver um plano para explorar e cultivar os recursos humanos necessários terão dificuldade em inovar.

Related posts

Indicadores industriais em Pernambuco: utilização de capacidade instalada e confiança empresarial em alta

Indicadores industriais em Pernambuco: utilização de capacidade instalada e confiança empresarial em alta A utilização de capacidade instalada da indústria Pernambucana subiu 8 pontos percentuais e agora está em 67%, muito próxima média brasileira de 70% no mês de...

Read More